A paz que precisamos para seguir em frente

3 de setembro de 2021

Compartilhe:

No dia 22 desse mês terá início a primavera, a estação do recomeço, do renovar de todas as expectativas para o ano que vai começar no verão. É claro que o fluxo das estações, que tanto afeta a natureza – quiçá ainda mais em tempos de mudanças climáticas – também altera o ânimo individual e coletivo. 

Nessa mudança de estação em particular, após todas as restrições e perdas que tivemos durante o longo inverno da pandemia – e hoje com o avanço da vacinação – mais do que nunca queremos reencontrar a harmonia, a estabilidade e a segurança que o nosso País tanto precisa para retomar o curso do seu desenvolvimento. 

Às vésperas do bicentenário da Independência, como assinalaram as entidades do agronegócio, no manifesto que publicaram no final de agosto, está na hora das lideranças políticas e dos Poderes se mostrarem “à altura do Brasil e de sua História”. 

Rogando por um bom recomeço a todos, buscamos dar nossa contribuição. Em agosto fizemos uma nova transição no formato dos seminários promovidos pela Revista. Dos eventos totalmente virtuais, evoluímos para o modelo semipresencial, como você terá a oportunidade de ler nas coberturas que selecionamos para essa edição, pela importância dos seus temas. 

Com todos os cuidados e protocolos sanitários que o momento requer, realizamos e registramos importantes discussões sobre ​​a explosão de litigiosidade relacionada aos vícios construtivos, no setor da construção, sobretudo nos empreendimentos da habitação de especial interesse social; sobre os impactos econômicos das novas regulamentações no setor da saúde suplementar; e sobre a importância da especialização da Justiça em matéria empresarial, esta que pode ser uma das grandes contribuições do Poder Judiciário para a retomada do desenvolvimento econômico do País, pelo potencial de tornar mais céleres e efetivos os processos de recuperação das empresas em dificuldades. 

Nessa edição – Para a matéria de capa, escolhemos a entrevista com o Ministro do TST Breno Medeiros, que se destacou por ter conseguido, em apenas três anos no Tribunal e apesar do aumento da distribuição de recursos no período, zerar o estoque processual de seu gabinete, tornando-se o campeão de produtividade do Judiciário Trabalhista. 

Por falar no Tribunal Superior do Trabalho, aproveitamos a oportunidade para transmitir nossas saudações e os votos de êxito aos novos integrantes, o Ministro Alberto Bastos Balazeiro e o Ministro Amaury Rodrigues Pinto Junior, que vêm para preencher as vagas deixadas pelo Ministro João Batista Brito Pereira e o Ministro Márcio Eurico Vitral Amaro, ambos aposentados, a quem também desejamos sucesso nos novos desafios.

Leia ainda nessa edição os artigos de juristas renomados e representantes de algumas das mais importantes entidades jurídicas do País, sobre temas candentes da agenda nacional, como o instituto da CPIs, a regulação dos meios de comunicação, os impactos da reforma tributária sobre a advocacia, os desafios da arbitragem coletiva, a nova lei de licitações e muito mais.

Boa leitura!