Seguimos o maestro como se ainda estivéssemos sob sua regência

5 de outubro de 2021

Compartilhe:

“Que digam os senhores governantes da nação; as lideranças políticas; as CPIs; as entidades sociais representativas e quantos mais palpitam seu patriotismo pelo País, para que não levantem dos seus túmulos os nossos grandes vultos do passado que tanto se sacrificaram pela grandeza da pátria. É de se rememorar aqui aquela acre reprimenda de Ruy aos omissos homens públicos na condução dos destinos do País: Quando os governantes se tornam crianças, é de se esperar que as crianças se façam estadistas”, disparou Orpheu Salles, ainda atualíssimo, no editorial de umas das primeiras edições da Revista Justiça & Cidadania, em 1999. 

Naquele ano, às vésperas de tornar-se octogenário e no auge de sua carreira como jornalista, Orpheu Salles decidiu criar um veículo em defesa do fortalecimento do Poder Judiciário; que servisse de canal e instrumento para que todos os tribunais do País pudessem se comunicar entre si e compartilhar experiências e projetos
bem-sucedidos de gestão em prol da melhoria da prestação jurisdicional; e que servisse ainda como fonte doutrinária de consulta rápida a estudantes e profissionais das diversas carreiras jurídicas.

Motivo de orgulho e fruto de dedicação incansável em seus últimos anos de vida – como ele próprio lembrou em outro editorial, já após a virada do milênio, “os grandes líderes mundiais, em todos os tempos, ostentaram faixa etária bem avançada, e foram timoneiros de seus povos” – a Revista tem cumprido esse papel e mantido vivos seus ideais e pensamentos. Desde a partida do pai e eterno editor, que ainda vive em nossos corações, procuramos seguir todos os seus passos, como se ainda estivéssemos sob sua regência.

Em 2021, esse admirável homem completaria 100 anos de vida e para nós, da Revista Justiça & Cidadania, além da imensa saudade fica o desejo de celebrar esse marco tão significativo para todos os que conheceram e conviveram com essa personalidade imortal e iluminada.

Dessa forma, além da série de artigos que publicamos ao longo do ano do centenário – leia nessa edição o texto preparado pelo Ministro Aposentado do STJ Sidnei Beneti – programamos para esse mês a celebração da efeméride durante a solenidade de outorga do XXX Troféu Dom Quixote, que desta vez contará também com a entrega da Medalha Centenário de Orpheu Salles a personalidades do mundo jurídico que se destacam na defesa dos valores que nosso fundador considerava mais elevados: a Justiça e a Cidadania. 

Fã do escritor espanhol Miguel Cervantes, de cuja obra tirou a inspiração para a Revista e para os Troféus, Orpheu Salles fez de sua própria vida uma verdadeira epopeia de coragem, renúncia e determinação. “Vivi sonhando, realizando, correndo riscos, como um Dom Quixote. Ataquei os moinhos de vento e os atacaria de novo”, estocou em outro editorial ardente, como sempre.

Ao maestro e timoneiro, nessa data e para sempre, nosso aplauso de eterna admiração.

Leia nesta edição – A Revista de outubro homenageia ainda os 33 anos de promulgação da Constituição Federal com uma entrevista com o Relator-Geral da Carta Cidadã, Senador Bernardo Cabral, Presidente de Honra do nosso Conselho Editorial. Confira também a cobertura completa da última edição do projeto Conversa com o Judiciário, que tratou dos Cartórios de Protestos e sua Central de Serviços, com palestra magna do Ministro Luiz Fux. 

Na seção Justa, dedicada à presença feminina nas carreiras jurídicas, confira a entrevista com a Presidente do TCU, Ministra Ana Arraes. E na seção literária Prateleira, confira a entrevista com o advogado Rodrigo Fux, que fala sobre três recentes lançamentos do qual é coautor. 

Leia ainda os artigos de juristas renomados – como a Desembargadora Aposentada Maria Berenice Dias – que tratam de temas como prerrogativas da advocacia, mudanças no Código Civil e muito mais. 

Boa leitura!