Relator vota por demissão de procuradores da Lava Jato do Rio em sessão do Conselho Nacional do MP

28 de setembro de 2021

Compartilhe:

Corregedor Nacional do CNMP, Rinaldo Reis — Foto: Reprodução/YouTube

A audiência nesta terça-feira (28) foi em parte presidida pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, que desfez a operação em março deste ano.

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em Brasília, começou a analisar nesta terça-feira (28) o processo que pode resultar na demissão de 11 procuradores da República que integravam a força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro.

A reclamação disciplinar contra o grupo foi apresentada ao conselho por dois ex-senadores, isso depois que foi publicado no site do Ministério Público Federal no RJ informações de uma operação que supostamente estava sob sigilo judicial.

O corregedor Nacional do CNMP e relator do caso, Rinaldo Reis, foi o primeiro a se manifestar, reforçando a proposta de demissão dos procuradores. No entendimento dele, a pena deveria ser aplicada e, depois, o plenário do conselho decidiria se ela poderia ser convertida em suspensão.

A audiência começou sendo presidida pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, e foi interrompida pouco depois de 12h, para um intervalo. Foi retomada às 14h, para sustentações orais dos advogados de defesa e acusação.

Antes mesmo de ser interrompida, um dos conselheiros já havia sinalizado que faria um “pedido de vista” (pedido de mais tempo para analisar o processo).

Representando os ex-senadores, o advogado Fabio Medina Osório repassou o caso, argumentando, por exemplo, que a publicação das informações teria sido decidida unilateralmente pelo MPF.